EUA sem máscaras no natal

Nos EUA as famílias com vacinação completa podem celebrar o Natal sem máscaras

Segundo Anthony Fauci, o maior especialista dos EUA na área das doenças infeciosas, as famílias americanas que tenham a vacinação completa podem celebrar a época festiva sem máscaras. Estas declarações foram feitas por Anthony Fauci, imunologista e diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infeciosas dos EUA, em entrevista à CNN.


No caso de todos os membros da família terem a vacinação contra a Covid-19 completa, é seguro descartar as máscaras durante as reuniões da época festiva. “É o que vou fazer com a minha família”, assegura o imunologista. Apesar disso quem for viajar ou estiver incerto quanto ao estado de vacinação dos membros da sua família, é melhor continuar a tomar algumas precauções, nomeadamente manter a máscara e testar-se, alerta.
Vacine-se e poderá gozar a época festiva muito facilmente. E se não estiver vacinado, por favor tenha cuidado”, aconselha. “Faça o teste se precisar de ser testado antes de se reunir com outras pessoas, mas isso não é um substituto para a vacinação. Vacine-se e pode continuar a desfrutar das interações com a sua família e com os outros”.
Cerca de 88% da população portuguesa está completamente vacinada contra a Covid-19. No entanto, a definição de “completamente vacinado
” irá irremediavelmente alterar-se à medida que uma parte crescente da população se torna elegível para receber uma dose de reforço.

Duas doses por um período de tempo significam que se está totalmente vacinado, mas o que se quer que as pessoas compreendam, não é a eficácia da vacina – sabemos que é bastante eficaz – é o tempo que dura”, explica. Por outro lado, adianta que “Temos um grande número de vírus a circular por aí. Sabemos que há infeções mesmo em pessoas vacinadas, e é assim que ocorre uma subida nos casos. O resultado final, e denominador comum destes dados, é que devemos ser vacinados se não formos vacinados, e tomar a dose de reforço se tivermos sido vacinados”, defende o médico.
Fonte: Revista Visão