Campanha - Viver com fibrose pulmonar

Campanha “Viver com fibrose pulmonar” sensibiliza para doença rara

Rara, pouco conhecida, mas que rouba o ar. É assim apresentada a fibrose pulmonar, uma doença respiratória progressiva, sem cura, mas com tratamento, que iniciado atempadamente pode devolver qualidade à vida de quem luta pelo ar que vai faltando

A Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP) e a RESPIRA, Associação portuguesa de pessoas com DPOC e outras doenças respiratórias críticas lançaram, no início de setembro, a campanha “Viver com fibrose pulmonar”, destinada a alertar a população e os profissionais de saúde para os sintomas e para a importância de um diagnóstico atempado da doença.

Para António Morais, pneumologista e presidente da SPP, esta é “uma doença pouco reconhecida e subdiagnosticada”. Por isso, reforça, “um doente com mais de sessenta anos e incapacidade para o esforço e/ou tosse persistente deverá valorizar este sintoma e recorrer ao médico”. António Morais alerta ainda para a necessidade de considerar a doença “como uma hipótese de diagnóstico, nomeadamente quando as doenças mais frequentes, que se podem apresentar desta forma, forem descartadas”.

A Presidente da RESPIRA, Isabel Saraiva, refere-se a esta campanha como “muito bem-vinda”, considerando ser esta a única forma de chamar a atenção, da população em geral e dos decisores, para a urgência destes doentes terem acesso ao diagnóstico, onde tudo começa, ao tratamento e, depois, a ações subsequentes, como a reabilitação respiratória e as consultas de cessação tabágica.

A campanha, desenvolvida com o apoio Boehringer Ingelheim, conta ainda com um filme e um site que, e para além de explicar o que é a fibrose pulmonar e quais os seus sintomas, aconselha doentes e cuidadores com dicas para que o doente possa ter uma melhor qualidade de vida.