Movimento Cuidar dos Cuidadores Informais

Projeto reconhece autarquias que cuidam dos cuidadores informais

O Movimento Cuidar dos Cuidadores Informais acaba de lançar a primeira edição da Rede de Autarquias que Cuidam dos Cuidadores Informais (RACCI), que irá reconhecer os municípios e as freguesias que adotem as melhores práticas e medidas de apoio em benefício dos cuidadores informais.

A Rede de Autarquias que Cuidam dos Cuidadores Informais irá atribuir selos de mérito às autarquias que melhor cuidam dos seus cuidadores informais.


Segundo o comunicado de imprensa, as medidas podem ser diferentes na sua forma ou aplicação, tendo o mesmo fio condutor: facilitar a vida aos milhares de cuidadores informais que, em Portugal, desempenham uma tarefa nem sempre reconhecida e com apoios insuficientes, de acordo com o mais recente inquérito nacional. Ao todo, 81,3% dos mais de mil inquiridos no estudo divulgado pelo Movimento confirmam isso mesmo, reforçando a necessidade de auxílio na prestação de cuidados (46,9%), apoio financeiro (39,6%) e apoio psicológico (13,5%).


Todos os municípios e freguesias estão convidados a participar, sendo atribuído o selo de mérito aos que obtiverem as melhores avaliações globais, numa escala de 1 a 5, com base na aplicação de vários critérios, como: práticas inclusivas, medidas de apoio, respostas sociais, dinamização ou financiamento de projetos, existência de recursos humanos dedicados aos cuidadores informais ou inovação/importância estratégica para estes cuidadores.
As inscrições decorrem até 31 de julho, devendo os candidatos submeter a sua candidatura através do formulário criado para o efeito no website www.movimentocuidadoresinformais.pt.

Integrarão a RACCI e receberão o selo de mérito os municípios e as freguesias que obtiverem as melhores avaliações globais, numa escala de 1 a 5, por aplicação dos seguintes critérios:

  • Práticas inclusivas dos CI;
  • Medidas de apoio aos CI;
  • Respostas sociais aos CI;
  • Dinamização de projetos para os CI;
  • Financiamento de projetos para os CI;
  • Existência de recursos humanos dedicados aos CI;
  • Inovação/Importância Estratégica para os CI.


A iniciativa foi apresentada à Associação Nacional dos Municípios Portugueses, que se disponibilizou para partilhar a informação com todas as autarquias do país, e conta já com o apoio da Associação Nacional de Freguesias.


No âmbito desta iniciativa, os representantes do Movimento Cuidar dos Cuidadores Informais estiveram reunidos com o Presidente da República, com quem tiveram oportunidade de partilhar preocupações e desafios que os cuidadores informais enfrentam em Portugal. A Secretária de Estado da Ação Social também esteve presente neste encontro, que permitiu abordar as questões associadas à implementação do estatuto do cuidador informal.


Ajudar os cuidadores informais é a primeira e principal missão do Movimento Cuidar dos Cuidadores Informais, uma iniciativa que conta com o apoio institucional da Merck.