Parque Natural do Douro Internacional

O Parque Natural do Douro Internacional abrange parte dos concelhos de Miranda do Douro, Mogadouro, Freixo de Espada à Cinta e Figueira de Castelo Rodrigo, no troço fronteiriço do Rio Douro (numa extensão de cerca de 122 km).

O troço fronteiriço do rio Douro corresponde ao vale profundo, encaixado e de margens escarpadas, que separa Portugal de Espanha. O Parque Natural do Douro Internacional (PNDI), com 86.834,82 ha, abrange uma extensa superfície adjacente ao rio, sendo a vegetação dominada pela azinheira (Quercus rotundifolia, localmente conhecida por carrasco), destacando-se ainda a presença de bosques de zimbro (Juniperus oxycedrus), sobreirais (Q. suber ) e manchas de carvalho-negral (Q. pyrenaica). 

O Douro internacional é uma área fundamental para a conservação da avifauna uma das zonas mais importantes no contexto nacional e mesmo ibérico. Com efeito, as aves são o grupo de fauna com maior representatividade nesta área, quer pela elevada diversidade quer pela ocorrência de várias espécies ameaçadas, que guardam aqui uma importante parcela das suas populações nidificantes a nível nacional e ibérico. Destaque para as aves rupícolas (i. e. aves que vivem / nidificam em zonas rochosas), nomeadamente grandes aves como o abutre-do-egipto (Neophron percnopterus) e a águia-de-bonelli (Aquila fasciata) que por aqui se refugiaram.  

Com baixa densidade populacional, a agricultura e a pecuária são as principais atividades económicas. Curiosos pombais, que forneciam adubo e alimento, pautam uma paisagem severa que adquire expressão dramática nas arribas do Douro. O mirandês, desde 1999 reconhecido como 2ª língua oficial de Portugal, é mais uma das surpresas que o extremo nordeste nos reserva. Na margem espanhola, o Parque Natural Arribes del Duero, com uma superfície de aproximadamente 106.105 ha, complementa a proteção da natureza desta zona fronteiriça.

Planeia a sua Viagem:

Primavera
Fotografe as giestas, os rosmaninhos, as urzes e as estevas em flor, entre outras espécies da flora que, nesta altura do ano, revestem os campos de variadas cores.Percorra, caminhando, as arribas do Douro e do Águeda e observe o voo tranquilo das aves que nidificam nas escarpas.

Verão
Durma nos alojamentos Natural.PT espalhados pelo território e sinta-se em casa. Aproveite o silêncio da noite e a tranquilidade dos lugares. Identifique as estrelas no céu.Aventure-se na descoberta dos miradouros e observe as manchas de lódãos e azinheiras.Calcorreie a pé o centro histórico da cidade de Miranda do Douro e visite o Menino Jesus da Cartolinha.

Outono
Deguste a famosa posta mirandesa. Aproveite e coma também alheiras, cogumelos, a bola doce, entre muitas das iguarias que nos dá este território.
Montado num burro e ao som da gaita-de-foles percorra lugares das terras de Miranda e aprenda umas palavras em mirandês.
Aventure-se na busca de cogumelos (não os colha) e aprecie o encanto das cores dos carvalhos, castanheiros e vinhas.
Descubra belos recantos da aldeia de Castelo Rodrigo, integrada na Rota das Aldeias históricas.

Inverno
Venha envolver-se nas manifestações etnográfico-culturais, de origem pagã, que ainda hoje se cultivam em diversas aldeias.
As encostas e as arribas enchem-se de belas cascatas. Escute os sons das quedas de água.
É hora de apreciar as amendoeiras em flor que dão nova cor à paisagem.

Como chegar
41° 14′ 34″ N / 6° 42′ 5″ W


Acesso a partir de:

  • Vila Real – A4 em direção a Bragança, saindo para o IC5 em direção a Carrazeda de Ansiães e, por fim, pela N 221 até Miranda do Douro;
  • Mogadouro – N221 até Santiago, seguindo até Vila de Ala, pela EM 595; sair de Torre de Moncorvo para Freixo de Espada à Cinta, pela N220 até ao cruzamento com a N221, seguindo em direção a Freixo de Espada à Cinta;
  • Pinhel para Figueira de Castelo Rodrigo pela N221.

Dicas
Antes de iniciar a sua viagem, peça informações ao Parque Natural do Douro Internacional ou consulte o plano de ordenamento desta área protegida, que prevê condicionantes e regras para a visitação.
Faça passeios fluviais nas albufeiras do Douro Internacional, observe abutres, visite as barragens, aprecie a famosa posta mirandesa, enquanto pensa na importância dos pombais tradicionais na preservação de espécies selvagens de aves de rapina e como elementos tradicionais da arquitetura local. 

Informação retirada de https://natural.pt/protected-areas/parque-natural-douro-internacional?locale=pt