Parque Natural do Alvão

Visite o Parque Natural do Alvão

Todas as segundas-feiras iremos recomendar um parque natural e outros locais de encanto que existem no nosso país. Hoje começamos por fazer uma visita ao Parque Natural do Alvão, localizado entre o Minho e Trás-os-Montes, nos concelhos de Mondim de Basto e Vila Real.

Com o início do desconfinamento e o tempo mais quente que se avizinha, a nossa proposta é que saia de casa e passeie um pouco, conheça os inúmeros locais bonitos que temos no nosso país. E para evitar a ida para locais com mais pessoas, recomendamos a visita aos parques naturais e outros locais mais calmos que existem no nosso país.

Todas as segundas-feiras iremos recomendar um parque natural e outros locais de encanto que existem no nosso país. Hoje começamos por fazer uma visita ao Parque Natural do Alvão, localizado entre o Minho e Trás-os-Montes, nos concelhos de Mondim de Basto e Vila Real.

  • Tem 7238 hectares numa zona muito granítica com algumas manchas de xisto, tendo ainda muitos afloramentos rochosos.
  • Possui inúmeras linhas de água, muito encaixadas, destacando-se o Rio Olo associado à famosa queda de água das Fisgas do Ermelo na Serra do Marão. O curso deste rio une duas realidades diferentes: uma altitude média de 1000 metros na zona de Lamas de Olo onde predomina o granito e a vegetação de alta montanha, e em baixo junto a Ermelo, a latitude ronda os 450 metros onde prevalece o xisto e a paisagem é verdejante como no Minho.
Queda de água das Fisgas do Ermelo na Serra do Marão.
  • O xisto, o granito e o colmo são os materiais utilizados na construção das casas das aldeias típicas de Lamas de Olo, Anta ou Ermelo, onde o tempo corre devagar.
  • Pode visitar o núcleo Ecomuseológico do Arnal que recria o ambiente de uma aldeia tradicional do Alvão.
  • Há muitas aldeias tradicionais do Alvão, dignas de uma visita: aldeia de Vilar de Ferreiros, aldeia de Vilarinho, aldeia de Travassos (recuperada), aldeia do Covelo, Macieira, aldeia do Bobal (sugerimos a Tasca da Alice para provar uns manjares desta região), aldeia de Cavernelhe, lugar do Fojo, aldeia do Varzigueto, aldeia do Barreiro, aldeia de Fervença, aldeia de Ermelo.
São muitas as aldeias típicas do Parque que merecem uma visita.
  • Há muitas árvores de várias espécies, como carvalhais nas zonas mais elevadas, e bosques mistos de folhosas que alternam com plantações de exóticas. Na proximidade das linhas de água destaca-se o vidoeiro.
  • Nas encostas junto aos cursos de água desenvolve-se uma irrigação multicentenária que distribui a água corrente sobre todo o prado, impedindo a formação de gelo, conhecidos como os lameiros ou prados de lima com elevada biodiversidade.
  • Cascata do Bilhó ou queda de água de Bilhó no Rio Cabrão, acessíveis através da EN 312, que liga Cavernelhe a Bilhó.
Santuário de Nossa Senhora da Graça.
  • Encontramos plantas raras como é o caso da orvalhinha ou rorela, uma espécie carnívora que cresce em terrenos encharcados pobres e margens dos cursos de água, enriquecendo a flora local.
  • Em termos de fauna destaca-se o lobo ibérico e um interessante conjunto de anfíbios e de répteis; destaque ainda para a borboleta-azul-das-turfeiras que habita em turfeiras e lameiros húmidos onde exista a planta genciana-dos-pauis e formigas Myrmica.
  • Como chegar: 41º 22’ 3” N / 7º 48’ 58” W