doenças coronarias

Hospital de Santa Marta recorre à inteligência artificial para tratar doentes coronários

O Hospital de Santa Marta, em Lisboa, utiliza a partir de hoje, 20 de maio, uma plataforma tecnológica inovadora que, aliada à inteligência artificial, permite detetar automaticamente a gravidade do bloqueio dos vasos sanguíneos, facilitando o diagnóstico e tratamento de doentes coronários.

O Hospital de Santa Marta, em Lisboa, utiliza a partir de hoje, 20 de maio, uma plataforma tecnológica inovadora que, aliada à inteligência artificial, permite detetar automaticamente a gravidade do bloqueio dos vasos sanguíneos, facilitando o diagnóstico e tratamento de doentes coronários.

Segundo anunciou a farmacêutica Abbott, ao contrário dos métodos de imagem como a angiografia convencional, a tecnologia de tomografia de coerência ótica (TCO) recorre à luz infravermelha para fornecer imagens de alta-definição a partir do interior de um vaso sanguíneo. Assim, os médicos conseguem uma visualização mais pormenorizada das artérias dos seus pacientes, permitindo-lhes personalizar o tratamento a aplicar em cada caso, adiantou a empresa.

Na prática, o novo ‘software’ permite detetar, de forma automática e com recurso à inteligência artificial (IA), a gravidade dos bloqueios de cálcio e medir o diâmetro dos vasos para uma melhor tomada de decisão dos médicos durante os procedimentos de colocação de `stent´ coronário (dispositivo em forma de tubo utilizado para manter as artérias abertas).

Além do Hospital de Santa Marta que recebe a primeira solução do género a ser implementada em Portugal, a empresa estima que esta tecnologia possa chegar a cerca de 50 outras unidades hospitalares.