cancro da pele

Aumentam doentes com cancro da pele

Os cancros de pele estão a aumentar em Portugal e, devido aos efeitos da pandemia, os doentes chegam aos hospitais numa fase mais avançada da doença, o que tem reflexos no prognóstico. Este é um alerta da Associação Portuguesa de Cancro Cutâneo no Dia do Euromelanoma, 19 de maio. Os vários tipos de cancro de pele são responsáveis por 400 mortes por ano o que dá mais de uma morte por dia.

Os cancros de pele estão a aumentar em Portugal e, devido aos efeitos da pandemia, os doentes chegam aos hospitais numa fase mais avançada da doença, o que tem reflexos no prognóstico. Este é um alerta da Associação Portuguesa de Cancro Cutâneo no Dia do Euromelanoma, 19 de maio. Os vários tipos de cancro de pele são responsáveis por 400 mortes por ano o que dá mais de uma morte por dia.

Segundo os últimos estudos, há cerca de 5 a 6% de incidência de cancros de pele anual, o que em números significa 12 mil diagnósticos/ano e em que cerca de mil desses casos são de melanoma maligno. Além disso, alertam que o confinamento pode ter efeitos negativos na pele porque estamos menos preparados para a exposição ao sol, havendo receio de que este tipo de cancro aumente durante o verão.

Os especialistas estimam que cerca de 90% dos casos, as mortes podiam ter sido evitadas, tal como os custos em tratamentos para os serviços de saúde que rondam os 20 milhões de euros anuais.