cerebro envelhece

Condução pode revelar sinais precoces de demência

Evidências científicas de um estudo de investigadores de universidades norte-americanas recentes sugerem que mudanças atípicas na condução podem ser sinais precoces de Défice Cognitivo Ligeiro e demência. Publicado na revista Geriatrics, este estudo revela que a idade é o principal indicador do Défice Cognitivo Ligeiro e demência, mas alguns elementos da condução podem revelar-se bons indicadores, sobretudo a duração das viagens e o número de travagens súbitas.

Evidências científicas de um estudo de investigadores de universidades norte-americanas recentes sugerem que mudanças atípicas na condução podem ser sinais precoces de Défice Cognitivo Ligeiro e demência. Publicado na revista Geriatrics, este estudo revela que a idade é o principal indicador do Défice Cognitivo Ligeiro e demência, mas alguns elementos da condução podem revelar-se bons indicadores, sobretudo a duração das viagens e o número de travagens súbitas.

Os especialistas utilizaram dados mensais de gravações, ao longo de 45 meses, de 2997 condutores, tendo em conta 29 variáveis que serviram para avaliar comportamentos de condução, noção de espaço e de desempenho.

A fórmula montada pelos investigadores pode ser utilizada em futuros estudos. Uma condução segura requer funções cognitivas e habilidades motoras percetivas e, por isso, a utilidade dos dados de condução associados ao Défice Cognitivo Ligeiro e demência pode ter implicações importantes no rastreio e tratamento precoce destas doenças e também pode ajudar a melhorar a segurança rodoviária.