sopa solidaria

Sopa Solidária pela Universidade Sénior

A Sopa Solidária é um projeto da Universidade Sénior do Rotary Club de S. João da Madeira que pretende apoiar pessoas ao nível alimentar. Começou em 2011 com 18 pedidos que subiram para os 31 devido à crise financeira e social que afetou o país. Mas entretanto houve uma recuperação económica que trouxe estabilidade e o número de sopas solidárias sofreu uma redução, mas em 2020 os pedidos voltaram a subir.

A Sopa Solidária é um projeto da Universidade Sénior do Rotary Club de S. João da Madeira que pretende apoiar pessoas ao nível alimentar. Começou em 2011 com 18 pedidos que subiram para os 31 devido à crise financeira e social que afetou o país. Mas entretanto houve uma recuperação económica que trouxe estabilidade e o número de sopas solidárias sofreu uma redução, mas em 2020 os pedidos voltaram a subir.

Em fevereiro de 2020, a Universidade Sénior entregava 14 sopas ao domicílio e deixava 4 a 6 nos frigoríficos solidários instalados no Centro Coordenador de Transportes e na Biblioteca de Fundo de Vila. Depois de uma paragem forçada pela pandemia, a Sopa Solidária voltou a ser feita pelas voluntárias da Universidade Sénior desde o dia 29 de março de 2021, e a Junta de Freguesia tem ajudado na distribuição das sopas solidárias.

A Universidade Sénior está a fazer cerca de 41 Sopas Solidárias diárias, que incluem pão, sopa e uma peça de fruta. Destas, 27 são entregues ao domicílio de pessoas que pediram o apoio alimentar, 8 estão a ser deixadas no Frigorífico Solidário de Fundo de Vila e 6 no do Centro Coordenador de Transportes.

Em qualquer um dos Frigoríficos Solidários podem ser deixados bens alimentares para que sejam levados por quem mais precisa. “Tudo o que tem ido (para o Frigorífico Solidário) tem desaparecido. Nunca encontramos sobras”, revelou Susana Silva, Diretora da Universidade Sénior, ao Jornal labor. Por isso, quem precisar desta ajuda alimentar deve contactar a Universidade Sénior, cujas novas instalações são no antigo edifício sede da ACAIS, na Rua Alão de Morais, junto à esquadra da Polícia de Segurança Pública, ou a Junta de Freguesia.

Muitos dos alimentos usados para fazer a sopa são doados por algumas vendedoras do Mercado Municipal. Os restantes são comprados com a ajuda de um subsídio anual de 2000€ atribuído pela Junta de Freguesia.