as aulas da Universidade Sénior do Rotary Clube de São João da Madeira têm continuado todas as semanas, nomeadamente as aulas de Inglês, Português e Jornalismo, História de Arte e da Cultura e Novo Testamento.

Universidades seniores fechadas geram ansiedade e tristeza

A suspensão ou encerramento das aulas das universidades seniores devido à pandemia de Covid-19 provocou ansiedade e tristeza nos idosos, segundo a Vice-Presidente da Ordem dos Psicólogos Portugueses, Renata Benavente. Atualmente, com a descida de de casos, as universidades seniores estão a abrir e as aulas estão a voltar ao normal.

A suspensão ou encerramento das aulas das universidades seniores devido à pandemia de Covid-19 provocou ansiedade e tristeza nos idosos, segundo a Vice-Presidente da Ordem dos Psicólogos Portugueses, Renata Benavente. Atualmente, com a descida de de casos, as universidades seniores estão a abrir e as aulas estão a voltar ao normal.

A verdade é que com os confinamentos foram-se perdendo várias rotinas diárias dos mais idosos, isolando-se cada vez mais e estando menos com a família e amigos, o que aumentou a ansiedade e depressão. “Observei em muitas pessoas que sigo que a perda dos contactos sociais e da oportunidade de manterem uma atividade cognitiva ativa agravou o seu estado emocional“, explicou Renata Benavente.

Algumas universidades seniores explicaram que muitos idosos não seguiam as aulas online por desconhecimento das novas tecnologias e também por desinteresse tal era o estado depressivo em que começaram a mergulhar. Ao perceberem esta realidade, impulsionaram as chamadas ou videochamadas quando possível, e chegaram mesmo a passar junto das janelas de alguns idosos mais retraídos. E com estas novas formas de convívio, acabaram por não perder a ligação aos seus alunos e acreditam que evitaram algumas depressões e sentimentos mais suicidas uma vez que ouviram muito as frases “se não morrermos pelo vírus, morremos por solidão e ansiedade”.

A psiquiatra Lia Fernandes sublinha que “é fundamental que os idosos tenham três grandes tipos de estimulação: a social, tendo uma boa rede de convívio e contacto permanente; a cognitiva, estando continuamente ativos a nível mental; e a física, andando de forma firme duas a três vezes por semana durante meia hora“. Como um estímulo não basta para se manterem saudáveis, a médica considera que as universidades seniores são um importante instrumento de envelhecimento ativo e de integração do idoso.