Brigadas Intervenção Rapida

502 Brigadas de Intervenção Rápida ativadas para lares

As Brigadas de Intervenção Rápida (BIR), criadas para atuar em caso de surto de covid-19 nos lares de idosos, foram ativadas 502 vezes desde a entrada em funcionamento e as intervenções diminuíram nas últimas semanas. Criadas no âmbito de um protocolo entre o Instituto de Segurança Social e a Cruz Vermelha Portuguesa, as BIR, compostas por pessoal ajudante de ação direta, auxiliares de serviços gerais, enfermeiros, psicólogos e médicos, atuam em situação de emergência e têm capacidade de ação imediata na contenção e estabilização de surtos de covid-19 em lares de idosos.

As Brigadas de Intervenção Rápida (BIR), criadas para atuar em caso de surto de covid-19 nos lares de idosos, foram ativadas 502 vezes desde a entrada em funcionamento e as intervenções diminuíram nas últimas semanas. Criadas no âmbito de um protocolo entre o Instituto de Segurança Social e a Cruz Vermelha Portuguesa, as BIR, compostas por pessoal ajudante de ação direta, auxiliares de serviços gerais, enfermeiros, psicólogos e médicos, atuam em situação de emergência e têm capacidade de ação imediata na contenção e estabilização de surtos de covid-19 em lares de idosos. As BIR estão estabelecidas em todos os distritos e são ativadas quando necessário.

“Desde o dia 01 de outubro entraram em funcionamento as BIR que permitem responder às necessidades das respostas sociais que, por situação de surto, tenham as equipas de recursos humanos comprometidas, tendo sido já ativadas 502 brigadas”, refere o relatório do estado de emergência referente ao período de 17 a 31 de março.

O documento, realizado quinzenalmente pela Estrutura de Monitorização do Estado de Emergência, coordenada pelo Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, refere que, na região Centro, no final de março “não existia qualquer intervenção ativa” das BIR face “à melhoria da situação nos lares”. Os surtos em lares “sofreram uma redução acentuada” nesta região do país com impacto positivo na redução de mortalidade por covid-19 nas pessoas residentes em lares.