feridas idosos

Dificuldade de cicatrização de feridas aumenta com a idade

A dificuldade de cicatrização de feridas em idosos é um problema muito sério devido às complicações que daí advêm, e sobretudo porque os idosos têm um processo de cicatrização mais lento e todas as fases de cicatrização encontram-se afetadas.

A dificuldade de cicatrização de feridas em idosos é um problema muito sério devido às complicações que daí advêm, e sobretudo porque os idosos têm um processo de cicatrização mais lento e todas as fases de cicatrização encontram-se afetadas. A cicatrização é um processo complexo que compreende várias fases: depois da fase inflamatória inicial segue-se uma fase de proliferação das células para formar uma “crosta”, e depois segue-se a fase de remodelação da pele.

Com o envelhecimento há muitas mudanças no organismo, e na pele ocorre a perda de colagénio e a sua elasticidade; as glândulas sebáceas também diminuem a produção de sebo, substância rica em lípidos e responsável por lubrificar e impermeabilizar a pele; e as glândulas sudoríparas sofrem uma queda. Estes fatores irão fragilizar os vasos sanguíneos, o que irá prejudicar a resposta imunitária e favorecer a ocorrência de infeções. Por isso, o aparecimento de feridas e lesões na pele das pessoas mais velhas é bastante comum como angiomas ou manchas vermelhas, quistos sebáceos, erupções cutâneas, eczemas, manchas, bolhas, urticária, comichão, nódulos.

Como prevenir lesões nos mais idosos

– Manter a pele sempre hidratada;

– Evitar vários banhos durante o dia, sobretudo com água quente pois isso irá favorecer ainda mais a desidratação da pele;

– Tomar banho de água morna e utilizar um sabonete neutro;

– Usar diariamente o protetor solar;

– Evitar posições que coloquem demasiada pressão nas saliências ósseas do corpo, de forma a evitar o aparecimento de úlceras de pressão;

– Evitar objetos espalhados pela casa que possam causar traumas na pele.