Parkinson

Hospital de São João implanta dispositivo que individualiza tratamento do Parkinson

Hospital de São João implanta dispositivo que individualiza tratamento do Parkinson

O Centro Hospitalar Universitário São João (CHUSJ), no Porto, implantou um dispositivo médico num paciente com doença de Parkinson que, ao registar as ondas cerebrais associadas aos sintomas da doença, permite “individualizar o tratamento”, revelou o médico responsável. Depois do Hospital Universitário de Wurzburg, na Alemanha, e do Hospital Universitário Grenobles Alpes, em França, o Hospital de São João foi a terceira unidade hospitalar do mundo a implantar este dispositivo.

Com este novo sistema, conseguimos ter um registo das ondas cerebrais relacionadas com os sintomas da doença – as ondas beta – e, portanto, sabemos quando é que o doente tem mais ou menos ondas, adaptando o tratamento a essas alturas. De algum modo, individualizamos o tratamento”, afirmou hoje Rui Vaz, neurocirurgião do CHUSJ responsável pelo procedimento. E explicou que o novo dispositivo associa a “direcionalidade” já existente à “capacidade de receber informação sobre as ondas cerebrais” relacionadas com os sintomas da doença, permitindo dar resposta às necessidades dos doentes e dos clínicos. “O problema é conseguirmos tratamento que se adapte à variabilidade ao longo do dia, ou seja, aquilo que se chama passar do tratamento da doença para o tratamento do doente”, disse.

O novo dispositivo, que funciona como “um diário eletrónico”, é mais um “passo” na melhoria do tratamento dos doentes com Parkinson. “O dispositivo vai com o doente para casa e quando o doente vem à consulta revemos o registo todo, e aí podemos melhorar a estimulação que estamos a dar”, referiu Rui Vaz.