envelhecimento ativo

Esperança de vida saudável em Portugal abaixo da média europeia

A percentagem de população portuguesa com limitações na realização de algumas atividades devido a problemas de saúde tem diminuído nos últimos 5 anos, mas a esperança de vida saudável em Portugal continua abaixo da média europeia, segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

A percentagem de população portuguesa com limitações na realização de algumas atividades devido a problemas de saúde tem diminuído nos últimos 5 anos, mas a esperança de vida saudável em Portugal continua abaixo da média europeia, segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Nos últimos 5 anos a percentagem da população com limitações na realização de atividades habituais devido a problemas de saúde baixou de 36,1% (2015) para 32,1% (2020), mas Portugal continua a ser um dos países onde este indicador atinge uma maior expressão (33,0% em 2019, 24,0% para a União Europeia, UE-27). A esperança de vida saudável aos 65 anos para a população portuguesa em geral em 2019 situou-se em 7,3 anos, menos três anos do que a média europeia (10,3 anos).

A publicação “Estatísticas da Saúde 2019”, divulgada pelo INE por ocasião do Dia Mundial da Saúde, que se assinala no dia 07 de março, refere que em 2019 subiu o número de médicos e enfermeiros por 1000 habitantes., havendo em 2019 5,4 médicos e 7,4 enfermeiros por 1000 habitantes, mais 2,3 médicos e mais 4,2 enfermeiros do que há duas décadas. Em 20 anos, o rácio mulheres/homens dos médicos alterou-se de forma significativa em Portugal: de 79,2 mulheres por 100 homens em 1999 para 126,2 mulheres por 100 homens em 2019.