lei da eutanásia cuidados paliativos

Associação pede reabertura integral dos serviços de Cuidados Paliativos

Numa Carta Aberta enviada ao Presidente da República, ao Primeiro-Ministro e à Ministra da Saúde, a Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos pede a reabertura integral dos Serviços de Cuidados Paliativos que existiam na fase pré-pandémica, e que foram encerrados em muitos hospitais devido à pandemia de Covid-19.

Numa Carta Aberta enviada ao Presidente da República, ao Primeiro-Ministro e à Ministra da Saúde, a Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos pede a reabertura integral dos Serviços de Cuidados Paliativos que existiam na fase pré-pandémica, e que foram encerrados em muitos hospitais devido à pandemia de Covid-19. “O desenvolvimento dos Cuidados Paliativos aumenta substancialmente a qualidade de vida dos doentes e famílias, diminuindo os custos em saúde, ao diminuir internamentos e reinternamentos hospitalares”, defende a associação presidida por Catarina Pazes.

A APCP exige mesmo que os “Cuidados Paliativos passem a ser entendidos como uma verdadeira prioridade no investimento em Cuidados de Saúde”. Trata-se de uma urgência para o SNS, “uma vez que os doentes com necessidades paliativas se encontram em todo o sistema de saúde e social. O facto de não terem acesso a cuidados de saúde adequados à sua situação não significa que não estejam a ser atendidos nos serviços, antes podem estar a receber cuidados desadequados e desproporcionados, que não previnem nem tratam o sofrimento e que, ainda assim, são altamente dispendiosos”, lê-se na carta assinada pela Presidente Catarina Pazes.

Na mesma carta lembram que, além da abertura destas unidades, é também “urgente que o acesso a equipas especializadas que prestem cuidados diretos ou consultoria a outros profissionais seja uma realidade”. Assim, a associação pede ainda que sejam consideradas para o Programa de Recuperação e Resiliência as medidas apresentadas, “assim como que seja nomeada sem mais demoras a nova Comissão Nacional de Cuidados Paliativos, a bem da concretização da Estratégia de Desenvolvimento dos Cuidados Paliativos”.