Parkinson, empreendedorismo

‘Nariz eletrónico’ para diagnóstico de Parkinson vence programa académico de empreendedorismo

A equipa do ParkinsonAISmeller com o nariz eletrónico que identifica Parkinson ganhou o 1.º prémio do programa de empreendedorismo da FCT Nova

A equipa do ParkinsonAISmeller com o nariz eletrónico que identifica Parkinson ganhou o 1.º prémio do programa de empreendedorismo da FCT Nova. O pódio ficou completo com os projetos de penso higiénico inteligente e biossensor dos níveis de ferro. Os outros prémios são o penso higiénico inteligente e um biossensor dos níveis de ferro.

A competição académica – na qual 924 alunos materializaram uma ideia numa solução de mercado – foi ganha pela equipa do ParkinsonAISmeller, que desenvolveu um “nariz eletrónico” que funciona através de Inteligência Artificial para fazer um diagnóstico precoce da doença (através de biomarcadores e com base em estudos que apontam para essa análise através do cheiro). A ideia partiu de Diogo Trinchante (Engenharia Química), Daniel Miranda (Engenharia Química), Tânia Matos (Engenharia Biomédica), André Rosado (Engenharia Química) e Diogo Mota (Engenharia e Gestão Industrial).

Os alunos dividiram-se em grupos multidisciplinares de 5 e desenvolveram 180 projetos ao longo de um mês, tendo sido acompanhados por 19 professores e recebido mentoria de cerca de 60 individualidades do tecido empresarial e do ecossistema.

O programa contou com o auxílio e mecenato das seguintes empresas: consultora EY; Jerónimo Martins; grupo tecnológico Asseco; Santander; empresa de robótica Introsys; Glintt; inNova; e agência de recrutamento e gestão de talentos Spark Agency. Os jurados foram Nuno Flores (CEO da Introsys), Gonçalo Carvalho (CIO do Santander), Andreia Reis (diretor assistente de Talent Team da EY), José Nunes (CTO da Asseco), Hugo Maia (diretor de Inovação da Glintt) e Rui Tomás (diretor de Inovação ao Consumidor de Jerónimo Martins).