vacinação covid-19

Covid-19: Avaria na plataforma elevatória dificulta acesso a centro de vacinação no Porto

Os idosos que se deslocam ao centro de vacinação contra a Covid-19 na antiga Escola António Aroso, no Porto, são forçados a subir 15 degraus devido a uma avaria na plataforma elevatória e à ausência de rampa.

Os idosos que se deslocam ao centro de vacinação contra a Covid-19 na antiga Escola António Aroso, no Porto, são forçados a subir 15 degraus devido a uma avaria na plataforma elevatória e à ausência de rampa.

Numa denuncia à Lusa, Fernando Silva relata que na segunda-feira acompanhou a sua sogra, de 90 anos, ao centro instalado naquela escola na freguesia de Aldoar para ser vacinada contra a Covid-19, tendo-se deparado com um “cenário inadmissível”.

“Logo a seguir a um portão que dá acesso do exterior para a escola encontra-se uma plataforma elevatória, [mas] que apenas serve de adorno pois está avariada e, assim sendo, as pessoas que têm mobilidade reduzida têm muita dificuldade em subir os degraus, indica, sublinhando não entender a escolha deste local.

Contactada pela Lusa, a Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-N) esclareceu hoje que “previsivelmente” ainda durante a manhã um técnico irá ao local aferir a situação para “tão rápido quanto possível” resolver o problema.

Aquela entidade esclareceu também que está ainda a ser desenvolvido um projeto para uma “rampa de acesso“, existindo “boa vontade” da autarquia para realizar a obra, desde que a ARS-N se responsabilize pelo projeto.

Salientando que a maioria dos utentes chamados para esta fase de vacinação são de idade avançada, Fernando Silva acrescenta que, na impossibilidade de subir os 15 degraus existentes entre o portão de entrada e o edifício, são os vigilantes que, “fazendo mais do que lhes compete, carregam a peso os utentes em cadeiras de rodas e assim de forma improvisada vão transportando as pessoas”.

Fernando Silva referiu ainda à Lusa temer “que aconteça uma desgraça, com a queda” de utentes, acrescentando ter apresentado uma reclamação no Livro Amarelo existente no local.

A autarquia aprovou, em outubro, a cedência por meio ano das instalações da antiga Escola Básica António Aroso à ARS-N, para alargamento da Área Dedicada aos Doentes Respiratórios no Agrupamento de Centros de Saúde (ACeS) do Porto Ocidental.

A Câmara do Porto assinalou que o estabelecimento de ensino foi solicitado pelo ACeS Porto Ocidental que informou a autarquia que vinha a debater-se com falta de espaço para o alargamento da capacidade de resposta da sua Área Dedicada aos Doentes Respiratórios.

Na mesma altura, em resposta à Lusa, a ARS-N revelava que a antiga escola deveria estar operacional durante o mês de novembro, após obras de adaptação.

Na reunião do executivo de segunda-feira, o presidente da Câmara do Porto, o independente Rui Moreira, revelou que a autarquia está a fechar acordos com as duas principais centrais de táxis na cidade de forma a facilitar o transporte de idosos aos centros de vacinação, tendo ainda anunciado que vai disponibilizar a Escola do Sol, na Sé, para o reforço da resposta de vacinação.

Em resposta à Lusa, a ARS-N esclareceu que aquele espaço, que irá também servir o Agrupamento de Centros de Saúde (ACeS) do Porto Ocidental, está a ser preparado, devendo no início da próxima semana entrar em funcionamento.

O centro de vacinação que serve o ACeS da Porto Oriental abriu na primeira semana de fevereiro, em simultâneo com mais seis outros locais na região Norte.