insuficiência cardíaca

Hospital de Santarém com telemonitorização de doentes com insuficiência cardíaca

O Serviço de Cardiologia do Hospital Distrital de Santarém (HDS) iniciou recentemente um programa de telemonitorização de insuficiência cardíaca (IC).

O Serviço de Cardiologia do Hospital Distrital de Santarém (HDS) iniciou recentemente um programa de telemonitorização de insuficiência cardíaca (IC).

Segundo Vítor Martins, diretor do referido serviço, o objetivo é “otimizar ainda mais” a qualidade assistencial aos doentes com IC de maior risco seguidos na unidade hospitalar monitorizando-os 24 horas por dia, 7 dias por semana, prevenindo-se, atempadamente, eventuais descompensações da doença e, consequentemente, a afluência destes doentes crónicos ao Serviço de Urgência, minimizando os riscos para o seu estado clínico, assim como o desconforto e tempo de espera em ambiente hospitalar.

Vítor Martins explica que este projeto surgiu como complemento ao que o Serviço de Cardiologia do HDS já disponibilizava aos doentes com esta patologia. “Dispomos de uma consulta de IC, que existe há cerca de 8 anos, assim como um hospital de dia, onde um médico e um enfermeiro observam os doentes que estão relativamente instáveis e são feitas determinadas terapêuticas, nomeadamente endovenosas, evitando, deste modo, a ida à Urgência”, relata.

Os doentes telemonitorizados são criteriosamente selecionados, sendo admitidos no projeto aqueles que recorrem à urgência hospitalar diversas vezes por ano por descompensação de IC. Através de um aparelho que é colocado nos doentes monitorizam-se, remotamente, diversos parâmetros, nomeadamente os níveis de pressão arterial e de oxigénio no sangue, o peso e ritmo cardíaco.

É feita uma gestão central diária dos parâmetros de telemonitorização – por uma empresa externa especializada -, sendo que quando os mesmos se afastam daqueles que foram pré-estabelecidos para cada doente são gerados “alertas”, os quais são avaliados tendo em conta os critérios anteriormente definidos pela equipa de Cardiologia. O doente é contactado e o “alerta” é validado por algoritmos específicos para o efeito.

Para saber mais, consulte:

Hospital Distrital de Santarém – www.hds.min-saude.pt