vacinacao idosos

Centros de saúde começam hoje vacinação dos mais idosos

Experiência arranca em duas unidades de Lisboa. Norte tem agrupamentos preparados para começar, mal haja vacinas.

A vacinação de idosos com mais de 80 anos e de pessoas com mais de 50 e algumas doenças associadas arranca esta quarta-feira, dia 3 de março, em duas unidades de saúde familiares (USF) de Lisboa.

É uma primeira experiência porque, na terça-feira, ainda não havia vacinas para alargar ao resto do país. No Norte, há várias unidades prontas a começar, mas faz-se um compasso de espera até chegarem as entregas.

A USF Alvalade e a USF Parque, ambas no Parque da Saúde, em Lisboa, vão dar início a esta nova etapa do processo de vacinação, que implica os centros de saúde convocarem os utentes que vão vacinar. O pontapé de saída será acompanhado pelo secretário de Estado da Saúde, Diogo Serras Lopes.

Os idosos com mais de 80 anos (mesmo sem doenças associadas e não residentes em lares) foram incluídos recentemente na primeira fase do Plano de Vacinação contra a Covid-19, depois de recomendações internacionais. São cerca de 340 mil pessoas e prevê-se que até ao final de março metade estejam vacinadas.

O grupo das pessoas com mais de 50 anos e patologias associadas (doença coronária, insuficiência cardíaca, insuficiência renal e doença pulmonar obstrutiva crónica ou outra doença respiratória crónica com suporte ventilatório e/ou oxigenoterapia de longa duração), também começa agora a ser chamado aos centros de saúde. Os que se enquadram nestes grupos mas não são seguidos no Serviço Nacional de Saúde podem preencher um formulário disponível no portal Covid-19.

O processo vai ser gradual, como referiu na semana passada o coordenador da task force do plano de vacinação, Francisco Ramos, e estará sempre dependente das entregas das vacinas. No Norte, há agrupamentos de centros de saúde prontos a avançar. É o caso de Gondomar, que instalou no Pavilhão Multiusos um centro de vacinação que servirá todos os munícipes.

Ontem, aguardava-se a chegada de vacinas a qualquer momento para se começar a convocar os utentes, explicou ao JN o presidente da Câmara, Marco Martins. Na mesma estrutura também vão ser vacinados os bombeiros, grupo que também integra esta primeira fase.