declínio cognitivo

Curso MIND: Combater o declínio cognitivo associado à doença vascular cerebral

Este ano, a formação na área do acidente vascular cerebral (AVC) estende-se para além do programa do 15.º Congresso Português do AVC.

Este ano, a formação na área do acidente vascular cerebral (AVC) estende-se para além do programa do 15.º Congresso Português do AVC. A reunião magna nacional dedicada aquela que continua a ser a principal causa de morte em Portugal decorre entre 4 e 6 de fevereiro, em formato virtual e, após terminar o programa oficial do encontro, os participantes podem ficar online para conhecer o projeto MIND num curso que decorrerá no dia 6, entre as 15h e as 17h30.

As inscrições ainda estão abertas para esta formação onde o principal mote será abordar as intervenções não farmacológicas para prevenção do declínio cognitivo associado à doença vascular cerebral.

O coordenador do curso, Vítor Tedim Cruz, explica que “o declínio cognitivo que resulta da doença vascular cerebral é um dos principais problemas de saúde da população portuguesa adulta”, embora seja uma situação que “pode ser alvo de prevenção através da correção precoce dos fatores de risco vascular nas populações em risco”. “O que acontece no terreno é que as estratégias de prevenção atuando em múltiplos fatores de risco são de difícil implementação em grandes grupos e no âmbito da comunidade”, acrescenta o investigador do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto.

É neste cenário que faz todo o sentido dar a conhecer iniciativas como o projeto MIND – Multiple Interventions to Prevent Cognitive Decline – a funcionar ainda numa fase piloto no ACES Porto Ocidental e no Município de Matosinhos – “que procura capacitar equipas locais para a disseminação de boas práticas no âmbito da prevenção vascular”, capacitando os profissionais no terreno com “ferramentas de intervenção que possam ser utilizadas ao nível dos cuidados primários e da comunidade, desde as fases precoces de perceção de risco acrescido”.

Com este curso, os formandos – profissionais de instituições envolvidos nos cuidados à pessoa em risco de desenvolver alterações cognitivas – aprenderão a desenvolver planos multidisciplinares que visem a prevenção de declínio cognitivo, envolvendo diferentes dimensões (treino cognitivo, o exercício físico e a educação alimentar) para que sejam capazes de implementar planos de monitorização a longo prazo e de replicar a metodologia do projeto MIND através de projetos de iniciativa local.