lares idosos

Covid-19: Especialista defende apoios específicos para idosos que vivem fora dos lares

O especialista em Medicina Geral e Familiar Rui Nogueira defendeu apoios para os mais de dois milhões de idosos que vivem fora dos lares e estão isolados devido à Covid-19, para garantir que tenham comida, aquecimento e medicamentos.

O especialista em Medicina Geral e Familiar Rui Nogueira defendeu esta quinta-feira, 7 de janeiro, apoios para os mais de dois milhões de idosos que vivem fora dos lares e estão isolados devido à Covid-19, para garantir que tenham comida, aquecimento e medicamentos.

Perante o aumento do número de casos de covid-19, que ultrapassou os 10 mil na quarta-feira, o ex-presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar defendeu que as medidas a serem tomadas devem ser “muito restritivas e muito dirigidas à população de maior risco e aos locais de maior risco”.

“Temos que desenvolver um apoio muito explícito dirigido às pessoas com maior risco, que são os idosos, quer sejam os que estão nos lares como os que estão em casa”, disse Rui Nogueira à agência Lusa.

Ressalvando que a situação dos lares é “um problema grave, porque são idosos e estão muito juntos”, mas são 100 mil pessoas e têm apoio organizado, enquanto fora das instituições são 2,3 milhões que “também estão em risco”.

Alguns vivem com a família, mas muitos vivem sozinhos ou com outro idoso, disse, observando que “o isolamento é bom” para evitar contrair a covid-19, mas, defendeu, “estas pessoas “precisam de apoio no domicílio para que tenham aquecimento, alimentos adequados, apoio para que tenham roupa, apoio para os acompanhar até mesmo nos medicamentos porque não podem sair de casa”.

No seu entender, deve haver uma política dirigida a esta população que enfrenta agora também os efeitos do frio e que, por permanecerem nas suas casas, carecem de apoio.