Sociedade Portuguesa de Alergologia

Covid-19: Sociedade Portuguesa de Alergologia desaconselha vacina a pessoas com reações alérgicas graves

A Sociedade Portuguesa de Alergologia propôs que a vacina da Pfizer para a Covid-19 não seja administrada a pessoas com antecedentes de reações alérgicas graves.

A Sociedade Portuguesa de Alergologia propôs hoje, dia 23 de dezembro, que a vacina da Pfizer para a Covid-19 não seja administrada a pessoas com antecedentes de reações alérgicas graves, apesar de reconhecer que estas reações às vacinas são raras.

Em comunicado, a Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC), diz que, apesar da informação clínica disponível sobre os casos em que terão ocorrido reações alérgicas suspeitas à vacina Pfizer-BioNTech para a Covid-19 ser ainda muito limitada, “não se supõe existir um risco acrescido de efeitos adversos à vacina em doentes asmáticos, com rinite alérgica ou com eczema”.

As reações alérgicas às vacinas do calendário nacional de vacinação são raras. As reações mais graves (reações anafiláticas) ocorrem em menos de 1/100.000 indivíduos”, afirma a SPAIC, acrescentando que “de acordo com a informação disponível, as reações alérgicas à vacina Pfizer-BioNTech para a covid-19 serão também eventos raros”.