Dia Europeu do Antibiótico

Resistência aos antibióticos pode matar 10 milhões de pessoas até 2050

A Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF) chama a atenção para a resistência aos antibióticos e junta-se à campanha nacional “Responsabilidade é o Melhor Remédio”.

A Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF) chama a atenção para a resistência aos antibióticos e junta-se à campanha nacional “Responsabilidade é o Melhor Remédio” para sensibilizar os médicos, farmacêuticos e a população em geral para o uso indiscriminado destes medicamentos. 

O Dia Europeu do Antibiótico, que se comemorou na passada quarta-feira, 18 de novembro, veio reforçar esta ideia de que as infeções existentes atualmente podem vir a ser fatais nos próximos anos devido à resistência aos antibióticos, que se estima podem causar a morte a 10 milhões de pessoas até 2050.

Para além da sensibilização, a iniciativa pretende disseminar a informação de forma massiva para desencadear a utilização responsável do antibiótico, já que os dados mostram que 80% das dores de garganta são causadas por vírus, nas quais os antibióticos não são eficazes.

Eurico Silva, médico de família e coordenador do Programa de Apoio à Prescrição de Antibióticos do ACES Baixo Vouga, deixa o alerta: “Todos os anos morrem 700 mil pessoas devido à resistência aos antibióticos e o cenário pode complicar-se ainda mais no futuro, tal como mostram as previsões realistas e assustadoras da Organização Mundial de Saúde, que nos diz que se o consumo de antibióticos se mantiver nos números atuais, a resistência aos mesmos, e consequente falha no tratamento, vai ser responsável pela morte de 10 milhões de pessoas até 2050”.

Referindo-se à situação em Portugal, Eurico Silva conclui: “anualmente, morrem mais pessoas em Portugal devido a infeções associadas aos cuidados de saúde – falamos de bactérias resistentes – do que por acidentes de viação. O assunto é sério e muito preocupante e está na hora de fazermos alguma coisa para reverter esta situação. É tempo de sermos conscientes e alertar o familiar, o amigo ou o conhecido para este problema e tentar evitar o consumo de antibióticos de forma frequente e desnecessária porque, mais uma vez, relembramos que os antibióticos não são eficazes nas infeções causadas por vírus, situações onde costumam ser recorrentemente utilizados”.

DOWNLOAD GRATUITO

Dignus4

(Irá receber um email com o link de download.)