União das Misericórdias Portuguesas

Covid-19: Misericórdias do Alto Minho querem unidade de retaguarda para utentes infetados

As 10 Misericórdias do distrito de Viana do Castelo defenderam ontem, 20 de outubro, a criação de uma unidade de retaguarda para utentes de Estruturas Residenciais para Pessoas Idosas (ERPI) com Covid-19 para “bloquear” a propagação do novo coronavírus.

As 10 Misericórdias do distrito de Viana do Castelo defenderam ontem, 20 de outubro, a criação de uma unidade de retaguarda para utentes de Estruturas Residenciais para Pessoas Idosas (ERPI) com Covid-19 para “bloquear” a propagação do novo coronavírus.

A proposta consta de um comunicado hoje enviado à agência Lusa pelo secretariado regional da União das Misericórdias Portuguesas (UMP). No distrito de Viana do Castelo existem 10 misericórdias, uma em cada concelho.

Contactado pela Lusa, o provedor da Santa Casa da Misericórdia de Arcos de Valdevez, que é também presidente do conselho nacional da UMP, Francisco Araújo, disse ter sido solicitado ao presidente da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho a marcação de uma reunião para discutir a proposta das Misericórdias.

Para esse encontro solicitámos a presença da Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM), Comissão Distrital de Proteção Civil de Viana do Castelo, Segurança Social e da representante distrital da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS)”, especificou Francisco Araújo.

No comunicado, o secretariado regional da UMP diz “estar mais que na hora das autoridades e das estruturas locais assumirem a responsabilidade que algo não vai bem e unirem esforços para resolver um problema de saúde pública“.

“Tal como anotámos, bem no início desta pandemia, a resposta tem de ser de base nacional, mas definida a nível local, dadas as especificidades e particularidades que cada região tem“, sustenta.

Onde se verifica maior número de idosos infetados é onde se verifica maior número de profissionais infetados. Isto é muito fruto da falta de pessoal diferenciado 24 horas por dia, nomeadamente pessoal de enfermagem, o que espelha a realidade da grande maioria“, sustentam as 10 misericórdias.

Acrescenta que as ERPI “são estruturas residenciais não concebidas para serem unidades de saúde” e comparam os surtos registados nessas estruturas com os da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI).

DOWNLOAD GRATUITO

Dignus4

(Irá receber um email com o link de download.)