Insuficiência Cardíaca

Grupo de personalidades apresenta Consenso Estratégico para a Insuficiência Cardíaca

Um grupo de personalidades da área da saúde apresentou ontem 6 de outubro, o “Consenso Estratégico para a Insuficiência Cardíaca”, que identifica as principais lacunas no acompanhamento destes doentes e apresenta “medidas urgentes” para diminuir a carga da doença no SNS.

Um grupo de personalidades da área da saúde apresentou ontem 6 de outubro, o “Consenso Estratégico para a Insuficiência Cardíaca”, que identifica as principais lacunas no acompanhamento destes doentes e apresenta “medidas urgentes” para diminuir a carga da doença no SNS.

O documento ao qual a Lusa teve acesso foi desenvolvido antes da pandemia por Covid-19, mas “as dificuldades destacadas ou provocadas pela pandemia levaram a que algumas das medidas que o grupo de trabalho inicialmente não considerou urgentes se tenham tornado agora prementes”, defendem os seus subscritores.

Antecipando uma recessão e de forma a fortalecer o nosso SNS, é crucial implementar iniciativas baseadas na evidência e custo-efetivas para limitar a carga pessoal desnecessária e os gastos com hospitalizações evitáveis, o que é frequentemente observado na insuficiência cardíaca [IC]”, salientam.

Para os subscritores, a falta de preparação do sistema de saúde português para lidar com a IC “é dramática”.

Apesar do impacto significativo da IC em Portugal, não existe uma estratégia nacional para dar resposta à problemática. O diagnóstico é frequentemente tardio, não existem protocolos clínicos que assegurem uma continuidade dos cuidados, as infraestruturas e as ferramentas de financiamento são inadequadas e não existem métodos de monitorização e avaliação das iniciativas implementadas”, descrevem.

Para melhorar a resposta, o grupo definiu “oito medidas prioritárias”, entre as quais “uma campanha de informação sobre a IC”, o financiamento de testes de diagnóstico para a síndrome nos cuidados de saúde primários, protocolos integrativos com uma rede de referenciação clara, a avaliação e a valorização financeira adequada dos cuidados prestados no âmbito da IC.

As estimativas apontam para cerca de 400 mil pessoas com IC em Portugal, que deverão atingir meio milhão em 2060.

Fonte: www.jornalmedico.pt/atualidade/39903-grupo-de-personalidades-apresenta-consenso-estrategico-para-a-insuficiencia-cardiaca.html

DOWNLOAD GRATUITO

Dignus4

(Irá receber um email com o link de download.)