Doentes em domicílio

Doentes em domicílio vão poder fazer auto-reporte da evolução da doença

Norma da DGS permite aliviar pressão sobre os profissionais de saúde. Auto-reporte só poderá ser feito mediante um conjunto de condições.

Os doentes de Covid-19 que estão em casa a recuperar vão poder reportar ao médico ou enfermeiro a evolução do seu estado, aliviando a pressão sobre os profissionais de saúde, anunciou o Governo.

Foi publicada uma atualização de uma norma da Direção-Geral da Saúde (DGS) que, “entre outras coisas, permitirá aos doentes a recuperar ao domicílio fazer auto-reporte”, afirmou o secretário de estado da Saúde, António Lacerda Sales, durante a conferência de imprensa da DGS de balanço sobre a evolução da pandemia de Covid-19.

A diretora-geral da Saúde acrescentou que a medida se destina apenas aos doentes que cumpram um conjunto de condições: A primeira condição é o seu quadro clínico ser estável”, sublinhou Graça Freitas, acrescentado que têm de ter menos de 60 anos e ter capacidade de utilizar ferramentas tecnológicas.

Ou seja, as equipas de saúde fazem uma triagem prévia dos doentes que estão em casa e decidem quem está em condições para poder fazer em auto-reporte.

Uma pessoa que cumpra os vários requisitos previstos na norma pode ir à plataforma TraceCovid reportar os seus sintomas ou falta deles: “Se está bem, se tem tosse se tem febre, se melhorou ou piorou”, explicou Graça Freitas.

A partir desse reporte, as equipas de saúde verificam se é necessário outro tipo de intervenção. Sendo que dar os resultados dos testes assim como dar alta ao doente continua a ser uma tarefa dos profissionais de saúde.

O secretário de estado explicou que esta alteração “vai aliviar a pressão sobre os profissionais de saúde, nomeadamente médicos de família, o que lhes permitirá direcionar o tempo disponível para outras atividades igualmente relevantes, não decorando o caráter primordial desta tarefa”.

DOWNLOAD GRATUITO

Dignus4

(Irá receber um email com o link de download.)