Graça Freitas

DGS: isolar crianças e idosos durante 14 dias não significa “abandonar”

Graça Freitas admitiu que a norma da DGS para isolar crianças durante 14 dias está a ser revista, mas lembrando que são os dias aceites como o período de incubação da doença.

Graça Freitas referiu, sobre a medida que obriga a um isolamento de 14 dias a crianças retiradas às famílias, mesmo em caso de teste negativo à covid-19, que “isolar não é abandonar”.

Durante a conferência de imprensa que acompanha o boletim epidemiológico da Covid-19 desta quarta-feira, 26 de agosto, a diretora-geral da Saúde refere que o “isolamento serve para proteger os outros”, lembrando que tanto crianças como idosos devem “ter apoio sempre”.

A diretora-geral de Saúde apontou que o período de incubação está fixado em 14 dias, mas se houver dados futuros a indicar que a doença tem um período menor, a DGS estará pronta para rever a duração do período de isolamento. A Segurança Social disse esta quarta-feira ao jornal Público estar a rever a orientação.

Já a ministra da saúde reforçou que estas crianças “não ficam abandonadas nem deixam de receber carinho”.

Graça Freitas admitiu que a norma está a ser revista mas frisou que os 14 dias estão definidos a nível internacional como o período de incubação da doença.

campanha

DOWNLOAD GRATUITO

Dignus1

(Irá receber um email com o link de download.)