lares de idosos

Covid-19: Sindicato exige que Governo garanta médico e enfermeiro nos lares

O Sindicato Independente dos Médicos acusou o Governo de usar a situação nos lares para “enlamear os médicos” e exige que executivo e instituições garantam médico e enfermeiro.

O Sindicato Independente dos Médicos acusou hoje, 26 de agosto, o Governo de usar a situação nos lares para “enlamear os médicos” e exige que executivo e instituições garantam médico e enfermeiro nos lares, retirando essa responsabilidade aos “sobrecarregados médicos de família”.

O SIM [Sindicato Independente dos Médicos] exige que o Governo e as instituições garantam médico e enfermeiro nos lares. Bastaria aumentar em um euro/dia a comparticipação da Segurança Social. O SIM reafirma a impossibilidade e ilegalidade dos exaustos e sobrecarregados Médicos de Família assumirem uma responsabilidade que não é deles”, lê-se num comunicado hoje divulgado pelo sindicato na sua página oficial.

Para justificar essa ausência de responsabilidade dos médicos de família em relação aos lares, o SIM defende que um despacho da ministra da Saúde, publicado durante o estado de emergência e no qual se determinava que o acompanhamento médico dos utentes dos lares passava para os centros de saúde locais, “não revoga o decreto-lei que o Governo assinou e muito menos se sobrepõe aos Acordos Coletivos de Trabalho que definem claramente o local de trabalho dos médicos”.

A situação nos lares tem, segundo o sindicato, sido usada pelo executivo para “enlamear os médicos”, pelo que o SIM “exige respeito e apela ao Governo para que evite a escalada verbal contra os médicos”, receando que esta seja o “rastilho para aumentar a violência perante os profissionais”.

DOWNLOAD GRATUITO

Dignus4

(Irá receber um email com o link de download.)