quedas

Nova plataforma visa detetar e prevenir quedas de idosos através de sensores vestíveis

Investigadores da Fraunhofer AICOS e da Escola Superior de Enfermagem do Porto estão a desenvolver uma solução tecnológica que, com recurso a sensores vestíveis, visa detetar automaticamente quedas de idosos e, consequentemente, preveni-las.

Investigadores da Fraunhofer AICOS e da Escola Superior de Enfermagem do Porto estão a desenvolver uma solução tecnológica que, com recurso a sensores vestíveis, visa detetar automaticamente quedas de idosos e, consequentemente, preveni-las, revelou hoje, dia 7 de julho, a responsável.

Em declarações à agência Lusa, Joana Silva, investigadora da Fraunhofer AICOS, explicou que o projeto, intitulado FRADE, visa desenvolver um sistema tecnológico para “monitorizar o movimento, detetar quedas e avaliar a atividade física de idosos”.

Já é sabido que as quedas são um dos maiores problemas da população idosa no domicílio e em instituições. Por isso, esta solução tecnológica foi uma oportunidade que identificámos nesta área para conseguir conciliar três tecnologias para três propósitos diferentes, mas que se centram muito neste problema”, afirmou.

O sistema, que vai ser desenvolvido por investigadores da Associação Fraunhofer Portugal Research e da Escola Superior de Enfermagem do Porto até ao final do ano, integra várias componentes, entre elas, sensores vestíveis (‘wearables’), uma aplicação para computadores, outra para tablets e um portal online.

Segundo Joana Silva, os sensores vestíveis, que ainda estão a ser desenhados, mas poderão ter a forma de um “clip”, vão permitir recolher dados e monitorizar o movimento” dos idosos e, com base, na atividade física, “delinear uma estimativa do risco de queda”.

Paralelamente, uma vez “delineado o risco de queda” do idoso, o sistema vai disponibilizar um conjunto de exercícios de prevenção das quedas com base no programa de exercícios Otago, programa de prevenção de quedas “reconhecido mundialmente” pelos profissionais de saúde.