Homens portugueses mais propensos a assistência domiciliar do que as mulheres – Estudo

Portugal e o Luxemburgo são os únicos países da UE onde os homens de 75 anos ou mais, com deficiência, são mais propensos a receber serviços de assistência domiciliar do que as mulheres.

Portugal e o Luxemburgo são os únicos países da UE onde os homens de 75 anos ou mais, com deficiência, são mais propensos a receber serviços de assistência domiciliar do que as mulheres, revelou na passada quinta-feira, dia 25 de junho, um estudo europeu.

Um em cada quatro adultos na União Europeia declarou limitações nas atividades diárias devido a um problema de saúde, sendo as mulheres mais propensas do que os homens a esses problemas.

O trabalho, do Instituto Europeu para a Igualdade de Género, incidiu nas limitações que os problemas de saúde colocam particularmente nos idosos e pessoas com algum tipo de deficiência.

Embora essas limitações afetem 12% da população em Malta, a maior carga de incapacidade é observada na Letónia, com 40% dos adultos a relatarem limitações”, lê-se no documento,

De acordo com o texto, em todos os países da União Europeia (UE), as mulheres são mais propensas do que os homens a sofrerem limitações nas atividades diárias devido a problemas de saúde (27% das mulheres em comparação com 23% dos homens).

Pessoas idosas com deficiência, particularmente aquelas com 75 anos ou mais, mostram maior recurso a serviços de atendimento domiciliar do que a restante população. Em média, 27% das mulheres e 20% dos homens deste grupo na UE receberam em casa atendimento em 2014.

Sob o título “A Europa precisa de se preocupar mais com os cuidados”, o instituto (EIGE) refere que a Europa enfrenta uma escassez de prestadores de cuidados, enquanto a procura aumenta à medida que a população envelhece.

Assinatura Dignus

DOWNLOAD GRATUITO

(Irá receber um email com o link de download.)