calor

Os idosos e o calor: cuidados e precauções a ter em conta

Não é novidade para a população portuguesa o aumento de incidências e problemas com idosos que são levados para a urgência hospitalar, chegando mesmo a existir um aumento do número de óbitos nas épocas de calor.

Não é novidade para a população portuguesa o aumento de incidências e problemas com idosos que são levados para a urgência hospitalar, chegando mesmo a existir um aumento do número de óbitos nas épocas de calor. Algumas vezes, estes casos ocorrem por não terem sido tomadas as precauções necessárias para evitar problemas comuns causados pelas vagas de calor, que se fazem sentir principalmente na terceira idade. Nesse sentido, reunimos neste artigo, alguns cuidados e precauções a ter em conta no cuidado ao idoso no que diz respeito ao calor e às vagas de calor que se fazem sentir em Portugal ou em qualquer parte do mundo.

O que dizem os estudos

Um estudo realizado nos Estados Unidos entre 1992 e 2006 determinou existir uma correlação significativa entre o aumento da temperatura e as admissões hospitalares por todo o território dos EUA. Com a população mundial a envelhecer e as temperaturas globais a aumentar, estes estudos nunca foram tão importantes. No estudo realizado, os investigadores determinaram que aumentou a incidência de admissões hospitalares de idosos com problemas renais e problemas respiratórios.

É seguro dizer que, especialmente para idosos com problemas renais ou respiratórios, as precauções enumeradas são de uma importância extrema e que devem ser tomados cuidados independentemente do estado do idoso, quer esteja institucionalizado ou não. A monitorização do estado do idoso tem aqui um papel fundamental para prevenir os piores casos.

Que idosos são mais impactados pelo calor?

  • Idosos com antecedentes clínicos de problemas renais
  • Idosos com antecedentes clínicos de problemas respiratórios
  • Idosos obesos
  • Idosos com problemas cardiorrespiratórios
  • Idosos com medicação diurética que pode causar e agravar uma desidratação

Idosos com demências devem ser especialmente monitorizados, porque devido à natureza da doença podem ignorar sintomas como a desidratação e a temperatura corporal excessiva. Também utentes seniores com diabetes têm menos sensibilidade e poderão ignorar estes sintomas.

Cuidados a ter com o idoso em vagas de calor

Fique na divisão mais fresca.

Caso não tenha possibilidade de adquirir equipamento de refrigeração da temperatura, opte por acomodar o idoso nas divisões mais frescas e com menor exposição solar. Geralmente, os locais mais frescos são os pisos mais inferiores. Se decidir ir com o idoso para o exterior certifique-se que corre uma brisa e que a temperatura é mais baixa, porque nem sempre no exterior a temperatura é inferior à temperatura interior.

Comidas ligeiras e muita água

É importante que nestas alturas o idoso coma comidas ligeiras (menos calóricas) e que se mantenha sempre hidratado. É importante ingerir bastantes líquidos durante todo o tempo em que estejam acordados. Nestas alturas é importante evitar bebidas alcoólicas e bebidas com cafeína para prevenir a desidratação.

Coloque panos húmidos nos pulsos, face e pescoço

Caso o idoso tenha queixas visíveis de excesso de temperatura corporal, além dos cuidados de hidratação, pode colocar panos húmidos com água fria nos pulsos, na face e na parte de trás do pescoço. Para um arrefecimento mais rápido da temperatura corporal, experimente embrulhar sacos de gelo em toalhas e colocar sobre o pulso dos utentes.

Mantenha-se em contacto constante com o idoso

Caso não consiga, peça a um familiar ou vizinho para monitorizar o estado de saúde do utente. Caso necessite, os serviços de enfermagem ao domicílio podem ser úteis nestes casos.

Vista roupas confortáveis

Vista roupas confortáveis e largas, que não fiquem justas ao corpo. Troque as vezes que forem necessárias para evitar que a roupa fique encharcada ou húmida com suor.

Cuidados a ter com a habitação onde reside o idoso

Mantenha as persianas fechadas

Não deixe o sol entrar, especialmente nas horas de mais calor. Pode abrir em alturas de menor incidência de calor para entrar luz natural. É importante também que não tenha na divisão equipamentos que produzam calor (candeeiros e televisores mais antigos, por exemplo).

Utilize ventoinhas e ar condicionado

Mantendo a temperatura da habitação a temperaturas adequadas sem exagerar no frio nem encaminhar o ar fresco diretamente para o idoso.

Golpe de calor – o que é?

O golpe de calor é um distúrbio caracterizado por causar no indivíduo a incapacidade de regular a temperatura corporal normalmente, que ocorre quando a temperatura corporal está demasiado elevada durante demasiado tempo. Devido à incapacidade do corpo regular a sua temperatura, o indivíduo pode ver a sua temperatura corporal subir a níveis demasiado elevados, podendo causar danos graves e/ou irreversíveis nos principais órgãos. Os principais sintomas são: pele seca e vermelha, incapacidade de produzir calor, pulso rápido, tonturas, náuseas, perda total ou parcial da consciência, além da elevada temperatura corporal.

Nos casos de golpe de calor tente atuar com rapidez, agindo da seguinte forma:

  • Coloque o idoso num local arejado e fresco
  • Refresque o idoso, se possível, recorrendo a um ventilador ou ventoinha
  • Pulverize com água fresca e coloque toalhas húmidas sobre os seus pulsos e pescoço
  • Peça ajuda médica imediata, se possível ligando para os serviços de urgência ou pedindo um médico ao domicílio

Fonte: www.geridoc.pt

DOWNLOAD GRATUITO

Dignus4

(Irá receber um email com o link de download.)