Desporto na terceira idade: as melhores modalidades

A prática de atividade física previne o surgimento de doenças nos idosos e contribui para a manutenção do seu bem-estar

A prática de atividade física previne o surgimento de doenças nos idosos e contribui para a manutenção do seu bem-estar. Mesmo que ao longo da vida nunca tenha subido a uma árvore, diversos estudos comprovam o que o senso comum já pressentia: nunca é tarde para se começar a mexer.

O exercício físico tem inegáveis benefícios em todas as faixas etárias, dos mais jovens aos mais idosos. De qualquer forma, qualquer atividade – e não apenas o desporto na terceira idade – deve ser antecipada de uma conversa com o médico, para melhor adequar o plano de exercícios, frequência e cuidados a tomar.

Benefícios comprovados do exercício:

– Reduz do risco da ocorrência de doenças cardiovasculares;

– Previne ou ajuda a reduzir a hipertensão;

– Previne ou ajuda a reduzir o colesterol;

– Previne a obesidade;

– Previne a diabetes do tipo II;

– Ajuda a prevenir alguns tipos de cancro, como o cancro do cólon;

– Reduz o risco de osteoporose e, consequentemente, de fraturas;

– Aumenta a capacidade de raciocínio e de memorização;

– Confere resistência ao stresse;

– Atenua as tensões que se acumulam durante o dia;

– Favorece a qualidade do sono;

– Melhora a autoestima;

– Quando praticada em grupo, reduz o isolamento.

Ajustar os exercícios às capacidades e necessidades do indivíduo é indispensável, independentemente da idade. No caso de quem pratica desporto na terceira idade, há outros cuidados a ter, sobretudo se a atividade física não foi uma constante ao longo da vida.

Os exercícios devem ser realizados com regularidade e continuidade: 3 vezes por semana, 40 a 60 minutos por sessão.

Modalidades:

1. Caminhadas

É a atividade física que pode começar a fazer já. Uma hora por dia é suficiente para diminuir os riscos de doenças cardiovasculares, melhorar a coordenação motora e dar início a uma alteração de hábitos de vida sedentários para outros mais saudáveis.

2. Natação

A natação é uma atividade com impacto reduzido nas articulações e permite uma maior amplitude de movimentos, estando indicada para tratar doenças como a artrite e osteoartrite. Trabalha ainda a circulação sanguínea e a respiração, ajudando na diminuição da falta de ar.

3. Corrida

Ao correr 30 minutos por dia, cinco dias por semana, melhora a respiração e o equilíbrio. Neste caso, o aquecimento e os alongamentos são imprescindíveis, para que os músculos estejam preparados para a atividade física e se previnam lesões.

4. Bicicleta

Não só trabalha o equilíbrio e a parte aeróbica, como fortalece os músculos das coxas, pernas e, especificamente, os gémeos – muito importantes para a autonomia do idoso. É preciso não esquecer o uso de capacete e luvas, para garantir a segurança do praticante.

5. Musculação no ginásio

Exercícios repetitivos e com pouco peso são os ideais para não danificar as articulações, mas ajudar na respiração e circulação sanguínea.

6. Ioga e Pilates

A flexibilidade e o equilíbrio são os principais benefícios destas práticas, além de que procuram igualmente a harmonia entre o aspeto físico e o mental. Ajudam no alívio das dores, fortalecem os músculos, aumentam a flexibilidade e diminuem o stresse.

Fonte: www.lusiadas.pt

DOWNLOAD GRATUITO

Dignus4

(Irá receber um email com o link de download.)