Alerta SPEO: Em Portugal as raízes da obesidade tendem a aprofundar-se e é urgente cortá-las

“As Raízes da Obesidade são Profundas” dão o mote ao Dia Mundial da Obesidade deste ano, que a partir de agora…

As Raízes da Obesidade são Profundas” dão o mote ao Dia Mundial da Obesidade deste ano, que a partir de agora se passa a comemorar no dia 4 de março. A Sociedade Portuguesa para o Estudo da Obesidade (SPEO) subscreve o alerta e reforça: “em Portugal as raízes da obesidade tendem a aprofundar-se e é urgente cortá-las”.

Os números confirmam a preocupação dos especialistas: segundo um estudo do Instituto Ricardo Jorge divulgado no início deste mês, mais de metade (62%) dos portugueses são obesos ou pré-obesos. E segundo a SPEO estes números tendem a aumentar de ano para a ano.

Entre 2020 e 2050 o excesso de peso e as doenças associadas vão reduzir a esperança de vida em cerca de três anos na média dos países da OCDE e da União Europeia a 28. Em Portugal, a estimativa aponta para uma redução de 2,2 anos nesse período, segundo o relatório The Heavy Burden of Obesity: The Economics of Prevention, que a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico (OCDE) divulgou recentemente.

A obesidade tem um enorme impacto na saúde, estando associada a mais de 200 outras doenças, como diabetes, dislipidemia, hipertensão arterial, apneia do sono, síndrome metabólica, doenças cardiovasculares, incontinência urinária, e cerca de 13 tipos de cancros, sendo ainda responsável por alterações musculoesqueléticas, infertilidade, depressão, diminuição da qualidade de vida e mortalidade aumentada, o que faz com que represente também um grande “fardo” do ponto de vista económico, pelos seus custos diretos e indiretos.

Esta doença complexa e multifatorial é um dos principais problemas do século XXI, tendo já atingido proporções epidémicas.

DOWNLOAD GRATUITO

Dignus4

(Irá receber um email com o link de download.)