Análise ao sangue deteta tumor cerebral

Uma nova investigação científica da Universidade de Sussex no Reino Unido poderá ter dado o primeiro passo no desenvolvimento…

Uma nova investigação científica da Universidade de Sussex no Reino Unido poderá ter dado o primeiro passo no desenvolvimento de uma análise ao sangue para diagnosticar um tipo mais agressivo de tumor cerebral, conhecido como gioblastoma. Este estudo, publicado na revista “Communications Biology”, identificou novos biomarcadores dentro dos fluidos corporais que detetam a presença do tumor.

Os biomarcadores do cancro são moléculas que se encontram exclusivamente ou estão superexpressadas nas células cancerosas, quando comparadas com as células saudáveis normais. Os biomarcadores podem ser considerados como assinaturas biológicas de uma doença porque indicam a presença de cancro no corpo.

Num novo artigo, os investigadores descrevem os biomarcadores que estão associados com as vesículas extracelulares, como pequenos “pacotes” libertados pelas células nos fluidos corporais para que as células possam comunicar entre si. Esta descoberta sugere que os fluidos corporais, como o sangue, podem ser uma forma mais simples de examinar o glioblastoma, ao invés de uma biopsia que é invasiva e dolorosa para o paciente, além de demorar um tempo considerável até se obter os resultados.

Atualmente há uma grande investigação para desenvolver biopsias líquidas como a análise ao sangue para detetar outros tipos de cancro (por exemplo, do pâncreas). Em vez de pegar num pedaço de tecido de um órgão, as biopsias líquidas permitem aos médicos retirar uma pequena amostra de sangue e analisar uma série de biomarcadores que ajudem a identificar o subtipo do tumor.