Falta de medicamentos no interior de Portugal

Cerca de 70% dos utentes da região da Guarda, Bragança e Beja depararam-se com alguma indisponibilidade…

Cerca de 70% dos utentes da região da Guarda, Bragança e Beja depararam-se com alguma indisponibilidade dos medicamentos na farmácia, segundo o relatório sobre o “Impacto da Indisponibilidade do Medicamento no Cidadão e no Sistema de Saúde”, realizado pelo Centro de Estudos e Avaliação em Saúde (CEFAR).

Em 2018, 52,2% sentiu alguma indisponibilidade de fármacos, o que levou a que 1,4 milhões de utentes (21,5%) se deslocassem à sua unidade de saúde para alterar os medicamentos prescritos em consultas. Estas consultas lesaram os doentes (em 2,1 milhões de euros), e também o sistema nacional de saúde (numa média de 39,5 milhões de euros).