Será possível detetar Alzheimer 20 anos antes dos primeiros sintomas

Brevemente os médicos vão poder identificar os pacientes que vão desenvolver Alzheimer

Brevemente os médicos vão poder identificar os pacientes que vão desenvolver Alzheimer, 20 anos antes de a doença neurológica começar a manifestar sintomas. Este avanço será possível graças a um grupo de cientistas da Universidade Médica de Saint Louis, nos EUA, que garante que um teste de sangue pode diagnosticar até 94% dos casos de Alzheimer.

O teste mede a quantidade da proteína beta-amilóide no sangue, que se aglomera em diferentes níveis no cérebro, em especial nos doentes com Alzheimer. Os resultados para as proteínas beta-amilóide 42 e beta-amilóide 40 são depois analisadas tendo em conta a idade do paciente e a presença do gene da apolipoproteína E, um importante fator no risco de desenvolver Alzheimer.

As conclusões foram retiradas após um estudo realizado a uma amostra de 158 adultos com mais de 50 anos. Comparando os resultados dos testes sanguíneos com as conclusões das TACs, os cientistas conseguiram prever 88% dos casos de Alzheimer com sucesso. Quando estavam presentes fatores de risco, o diagnóstico foi feito com 94% de precisão.