Primeiro complexo de neurointervenção da Península Ibérica em Gaia

Foi inaugurado a 31 de julho o primeiro complexo de neurointervenção da Península Ibérica

Foi inaugurado a 31 de julho o primeiro complexo de neurointervenção da Península Ibérica, em Vila Nova de Gaia, numa cerimónia que contou com a presença do Ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva.

O complexo de neurointervenção da Cruz Vermelha Portuguesa destina-se a receber pessoas, particularmente idosos, com problemas de demência, e tem como objetivo criar uma resposta integrada e interdisciplinar de apoio às pessoas com demência, aos cuidadores e aos seus familiares e entrará em pleno funcionamento no próximo mês de setembro.

O complexo é composto por um centro de neurointervenção, que terá seis terapeutas especialistas em défices cognitivos; um serviço de apoio especializado aos doentes e aos seus familiares; um centro de formação direcionado a técnicos e profissionais da área da saúde e das ciências sociais e humanas, vocacionado para as doenças ligadas ao foro neurológico; um centro de apoio ao cuidador e um centro de apoio e integração na comunidade. Terá, também, um jardim terapêutico e uma vivenda domótica, que consiste numa casa onde se pretende trabalhar com as pessoas com défice cognitivo e adaptá-las ao contexto de habitação, com todas as limitações cognitivas que possam ter. Tem, ainda, uma unidade hospitalar com capacidade para 28 camas.