100 mil pessoas não saem de casa em Espanha por falta de acessibilidade

De acordo com um estudo da Mutual Foundation of Owners, cerca de 100 mil pessoas com mobilidade reduzida não saem de casa em Espanha devido à falta de acessibilidade da propriedade em que residem

De acordo com um estudo da Mutual Foundation of Owners, em colaboração com a Confederação Espanhola de Pessoas com Deficiência Física e Orgânica (COCEMFE), cerca de 100 mil pessoas com mobilidade reduzida não saem de casa em Espanha devido à falta de acessibilidade da propriedade em que residem. Dos 2,5 milhões de pessoas com alguma dificuldade para se movimentarem, 4% vivem em suas casas e esse valor aumenta para 42% quando falamos de pessoas que passam muitos dias sem sair.

O relatório “Mobilidade reduzida e acessibilidade do edifício” revela que 18% dos imóveis habitados por pessoas com mobilidade reduzida não possuem elevador, sendo este o maior fator de isolamento. A falta de adaptação dos edifícios e a escassez de ajuda para eliminar as barreiras arquitetónicas são os principais fatores que desencadeiam esta realidade.

O relatório foi realizado após a uma amostra de 2001 pessoas entre 2 e 12 de abril de 2019 em municípios espanhóis com mais de 20 000 habitantes. 33% consideram que, se a propriedade em que vivem fosse mais adaptada às suas necessidades, sairiam mais frequentemente de casa. A acessibilidade inadequada tem sido a razão que levou 22% das pessoas a mudarem de morada de habitação.