“Falar de Parkinson” é dar voz a 10 milhões de pessoas

Fazer-se ouvir e perceber são algumas das dificuldades diárias dos doentes com Parkinson…

Fazer-se ouvir e perceber são algumas das dificuldades diárias dos doentes com Parkinson. A pensar nisso, a Bial fez um filme onde lhes dá voz: o “Speak up for Parkinson’s” [“Falar de Parkinson”] insere-se numa campanha de âmbito mundial que visa aumentar o conhecimento sobre a realidade dos doentes com Parkinson. As alterações de voz como uma das consequências da progressão da doença é o tema que serve de metáfora à nova campanha sobre a Doença de Parkinson da Bial lançada em abril.

O filme retrata uma doente real com a Doença de Parkinson e com dificuldades na voz, e assenta na ideia de que quando várias vozes falam em uníssono a mensagem é mais poderosa e consegue chegar mais longe. A Bial acredita que os doentes não devem ser definidos pela doença e que a união de várias vozes às das pessoas com Parkinson contribui para dar-lhes poder, sensibilizando ainda para as necessidades, desafios, frustrações e dificuldades de quem vive e convive com a doença. Este novo filme reúne as vozes de quem convive diariamente com os doentes porque, ainda que haja conhecimento sobre o que é a doença, há ainda um enorme desconhecimento sobre as dificuldades, nomeadamente de ordem social, que os doentes enfrentam no dia-a-dia. Conhecer melhor as consequências desta doença poderá levar a uma maior tolerância e potenciar um contributo relevante na melhoria da qualidade de vida das mais de 10 milhões de pessoas que vivem com Parkinson no mundo inteiro.

A Doença de Parkinson é uma doença neurodegenerativa progressiva que afeta células nervosas no cérebro responsáveis pelo controlo do movimento. À medida que a doença avança, tarefas diárias comuns como falar ao telefone, fazer um pedido num restaurante, ou simplesmente expressar uma ideia podem tornar-se verdadeiros desafios. A complexidade na realização destas ações provoca ansiedade e pode levar ao isolamento. Nos casos mais severos há um sentimento de impotência que pode conduzir à depressão.