Memórias de idosos cantadas por crianças em Setúbal

O Festival de Música de Setúbal decorre de 23 a 27 de maio, em vários locais do…

O Festival de Música de Setúbal decorre de 23 a 27 de maio, em vários locais do concelho de Setúbal e é considerado o festival mais inclusivo de Portugal porque junta jovens com necessidades especiais e de diversas etnias. E este ano tem uma novidade apresentada por cerca de 300 crianças que ao longo deste ano estiveram em 3 lares de Setúbal para criar músicas a partir das memórias dos mais velhos. Irão apresentar essas mesmas músicas no dia 26 de maio, num concerto no Fórum Luísa Todi. No concerto de abertura, Beatriz Nunes e a sua banda de jazz vão dar ao público uma amostra da música composta pelas crianças.

No dia 25 de maio, no Museu do Trabalho, a tónica será dada às antigas trabalhadoras idosas que partilharam as suas vivências nesta antiga fábrica de conservas, e as suas memórias serão transformadas em música. Ian Ritchie, Diretor artístico do evento, explicou o destaque dados aos mais velhos serve para provar que é cada vez mais urgente dar especial atenção à memória dos mais idosos através da música, cantando essas mesmas memórias.

Os efeitos da música da saúde vão ser discutidos no 2.º simpósio, único em Portugal, que vai decorrer no Fórum Luísa Todi nos últimos dias do festival. “Em Inglaterra já temos hospitais a substituir antibióticos por terapia musical e talvez esteja na altura de Portugal seguir o exemplo”, referiu Ian Ritchie. A ideia de discutir o assunto surgiu há 5 anos quando foi criada a Youth Ensemble, um grupo de músicos jovens setubalenses, alguns com necessidades especiais. “Sabemos já que a música muda a vida de todos, agora é preciso provar que pode ser uma terapia em certos casos da medicina”, afirmou Ian Ritchie.

E e como o festival privilegia pessoas com necessidades especiais, há a oportunidade de assistir ao Headspace Ensemble, que inclui o inovador instrumento, Hi-note, criado por Clarence Edoo, tetraplégico. O artista não vai poder comparecer devido a problemas de saúde “Este instrumento é demonstrativo da música inclusiva, apreciada por todos”, explicou Ian Ritchie. A banda de Clarence Adoo, Headspace Ensemble, entra em palco no domingo, 26 de maio, no Fórum Luísa Todi a partir das 19 horas e na segunda-feira, 27, a partir das 18 horas, no mesmo palco.